Escrevi esse texto no comecinho de Fevereiro, depois que fiz o Balanço Mensal de janeiro e Defini minhas Metas e Plano de Ação para fevereiro. Eu enviei por email marketing, mas resolvi postar aqui, para ficar acessível a todos que queiram orientação para preencher essa parte do Planner. Afinal, são 12 meses, então faremos esses exercícios até o fim do ano! Espero que curta =]

Por que preencher o Balanço Mensal do seu Planner?

Sexta passada (31/01) tirei um tempo para fazer o balanço de Janeiro. Ou seja, para analisar os resultados que obtive esse mês. No Planner 2020 da Gherma, ao fim de cada mês, tem uma página para essa atividade.

Balanço Mensal


Eu nunca tinha feito esse exercício. Acredito que eu nunca fiz, por não me questionar da importância do mesmo. Foi aí que eu me peguei pensando: “Camilla, por que você vai fazer um balanço do mês?”.

Ultimamente eu tenho me questionado sobre o porquê de eu realizar determinadas coisas. Esse questionamento é ótimo por 2 motivos. Primeiro porque eu passei a me dar conta da relevância de determinadas atividades na minha vida. Exemplo: “Por que eu acordo cedo? Porque me faz bem, eu rendo mais pela manhã e procrastino menos”. Acredito que quando você tem um porquê forte para fazer algo, você tem mais motivação e as chances de você se sabotar são bem menores.

O segundo motivo de eu me questionar, é porque, da mesma forma, verifiquei a irrelevância de várias atividades. Exemplo: “Por que eu assisto mais Netflix do que eu gostaria? Porque talvez eu esteja fugindo de responsabilidades, me anestesiando de dores da vida e me sabotando”. Quem nunca? Se questionar é tomar consciência das suas atitudes e poder enxergar o quanto elas estão te fazendo bem ou mal.

Enfim, voltando ao assunto. Cheguei em 2 bons motivos para fazer um balanço mensal:

  • Analisar o que deu certo:que estratégias você adotou que te levaram ao êxito do seu planejamento? Vale a pena mantê-las para o próximo mês? Independente da sua resposta, celebre suas conquistas. Suas realizações foram frutos do seu esforço e do seu poder de realização. Não foi golpe de sorte.

 

  • Analisar o que deu errado: por que algumas coisas não saíram como o planejado? O que você pode fazer de diferente para não cometer os mesmos erros? Não se frustre. Aprenda.Não se julgue. Perdoe-se. Se dê a chance de fazer diferente no próximo mês.

 

  • Autoconhecimento: quando a gente faz essa análise de erros e acertos conseguimos identificar o que funciona ou não pra gente. Eu compartilho várias dicas de planejamento que eu uso, porque dão certo pra mim. Eu já errei e acertei muito, pra hoje, saber que estratégias funcionam na minha rotina. As mesmas podem não funcionar para você. Planejamento é um processo pessoal.


Muitas vezes, nosso planejamento não dá certo por motivos que não podemos controlar, como a meteorologia, enfermidades, demandas novas de trabalho etc. Famosos imprevistos. E cara, eu arrisco dizer que a gente não controla praticamente nada na nossa vida.

Então você pode me perguntar: “Camilla, pra que eu vou me planejar?”. E eu te digo… Pra saber improvisar melhor e lidar com imprevistos sem desespero, com leveza e jogo de cintura.    

Balanço Mensal


Em outras palavras, olhe para o mês que passou com amor e gratidão. Não se culpe e não se apegue ao que deu errado. Ficar se lamentando sobre o que você poderia ter feito de diferente vai mudar alguma coisa? Não.

O passado serve apenas como referência. O mais importante é olhar pra frente e focar nos seus objetivos. Ajustar o plano, adquirir novos hábitos, eliminar comportamentos que não te fazem bem. Ou seja, recomeçar com novas estratégias. Afinal, você não vai ter resultados diferentes sendo sempre o mesmo.

Enfim. Eu fiz o balanço de janeiro de peito aberto. Honestamente, eu não defini metas específicas e nem montei um plano de ação, porque eu não tinha clareza sobre o que eu queria. Acho que eu não tinha um porque muito forte. Não se sinta obrigada a ter metas sempre. Muitas vezes a gente precisa se cobrar menos, deixar a vida fluir, o universo agir e refletir para encontrar nossos “porquês”.

Não me culpo de maneira alguma. Foi ótimo não traçar metas e deixar a vida correr um pouco solta. Foi como um período de treinamento. Me permiti testar diferentes estratégias na minha rotina e ver o que poderia dar certo ou não. Então, depois de analisar o meu mês, resgatei a clareza que me faltava lá no dia 1º de janeiro. Fiquei menos confusa e consegui clarear as minhas ideias. Verifiquei que resultados eu tive nesse “período de teste” e hoje sei que metas quero alcançar em fevereiro.

O balanço mensal é o encerramento de um ciclo. Um exercício para olhar para trás, agradecer, despedir-se e abrir-se para o novo. Confesso que enxergo esse encerramento com minhas lentes de bruxa rsrsrs. Em termos energéticos, acho que a gente deve iniciar um novo mês, somente depois que “fecharmos” o que passou. Então não comece fevereiro sem antes dar um tchauzinho e um abraço apertado em janeiro.

Como definir as Metas do seu mês:

Metas
Agora que eu tenho clareza sobre o que eu quero realizar em fevereiro, foi muito mais fácil estabelecer metas para esse mês. Decidi resgatar 3 hábitos que eu tinha e me faziam muito bem, mas não sei o porquê, eu deixei de praticá-los:

  1. Acordar às 7 am todos os dias;
  2. Meditar todos os dias pela manhã;
  3. Escrever no diário todos os dias.


Repare que eu quero – e vou – cumprir essas atividades todos os dias e não apenas nos dias de semana, pois não quero associar essas coisas a uma obrigação. Afinal, quem gosta de obrigação? Todos os dias vou acordar às 7 da manhã porque me faz bem. Em seguida vou meditar porque quero manter minha mente tranquilinha e focar mais no presente. Por fim, vou escrever no meu diário todos os dias para colocar minhas emoções para fora, me conhecer melhore entender o meu “sentir”.

No Planner da Ghermavocê pode escolher 3 metas para alcançar durante o mês. Mas você não precisa ter 3 metas todos os meses. Não se cobre tanto. Como disse lá em cima, busque sempre um porquê. Para cada meta eu convido você a refletir sobre 3 questões: finalidade, perdas e ganhos.

  • Para que você quer alcançar tal meta? “Quero emagrecer 2 kg em fevereiro”. Pra quê? Para melhorar minha autoestima e minha disposição. Dei esse exemplo pois é bem fácil de entender, mas busque uma meta que você queira muito e que mexa com o seu coração. Por que quem quer algo de verdade dá um jeito e faz acontecer, quem não quer, dá uma desculpa.

 

  • Que ganhos você terá ao alcançar tal metal? Aqui você vai refletir sobre os benefícios que você vai ter quando atingir a meta. Ainda no exemplo do emagrecimento, depois de eliminar 2 kg, algumas roupas podem ficar mais confortáveis, você pode se sentir mais a vontade com seu parceiro, pode melhorar algumas taxas do exame de sangue, ter mais energia etc. São ganhos bons, né?

 

  • Que perdas você terá ao alcançar tal meta? E qual o lado ruim de não alcançar sua meta? Para mim, independente da meta, a perda é sempre a mesma: estagnação. Ou seja, ficar no mesmo lugar, não evoluir. Se desafie, comece com uma meta pequena e realista. Vá aos poucos, mas não deixe de ir. Como já dizia Clarice Lispector: “Mude, mas comece devagar, pois a direção é mais importante que a velocidade”.

Como criar um Plano de Ação para sua Metas:

Plano de Ação

Na página do lado da de metas, tem uma página para você estruturar um Plano de Ação para cada meta estabelecida. Afinal, uma meta sem um plano é apenas um desejo rsrsrs E para te ajudar, eu montei uma tabela para você criar um plano sem mistério.

Para cada metas, você precisa descrever:

  • Tarefas: o que precisa ser feito para você alcançar sua meta? Especifique cada tarefa e distribua ao longo do planejamento semanal do seu Planner. Ah, agora a Gherma também tem um Bloco Semanal para te ajudar mais ainda na organização da sua rotina. Especifique bem as tarefas. Já falei sobre clareza nesse email, então seja o mais específica e objetiva que conseguir na descrição delas.

 

  • Recursos: o que/quem você tem em mãos para te ajudar a atingir sua meta? Recursos podem ser bens físicos, habilidades suas e até pessoas. Vamos supor que em fevereiro você quer ler 2 livros. Nesse exemplo, recursos podem ser: o próprio livro ou o PDF do mesmo, uma boa luminária, sua disciplina, seu comprometimento. Sei que parece meio óbvio, mas muitas vezes a gente deixa de iniciar um plano de ação, porque achamos que não temos recursos. Eu sou sempre a favor de usar o que temos. O famoso ‘antes feito do que perfeito’.

 

  • Riscos: o que/quem pode atrapalhar o seu plano de ação? Quando a gente mapeia os riscos que podemos encontrar ao longo do caminho, nos preparamos melhor caso nosso plano fuja um pouco do planejamento. Tendo em mente o que pode nos afastar da nossa meta, podemos nos previnir traçando estratégias para evitar tais impedimentos. Se sua meta é correr seus primeiros 5km, posso exemplificar alguns riscos: chuva caso você corra na rua, sua preguiça, pensamentos sabotadores, insônia, falta de organização etc.

 

  • Prazo: determine um período de tempo dentro do qual sua meta deve ser alcançada. Uma meta sem prazo nunca será conquistada. Mas seja realista, ok? Então estipule – dentro de um mês – a data limite para atingir sua meta. Pode ser o mês todo, não tenha pressa. Repito, vá devagar.

 

  • Recompensa: estipule uma recompensa, um mimo para você se dar como um prêmio por ter seguido o plano de ação e conquistado sua meta. Importante: escolha uma recompensa que seja coerente com a meta e que vá te manter mais motivada ainda. Ou seja, se você se esforçou e emagreceu 2 kg, não faz sentido você se presentear com um rodízio de japonês rsrs.

Bom, acho que expliquei direitinho como preencher essas 3 partes do Planner. Agora você tem bons motivos para tirar um tempinho pra você e refletir sobre o mês que passou e sobre o que está por vir!

Beijos,

Milla

Leave a Comment

0
não seja uma pessoa multitask